Mesmo que a escola já seja uma velha conhecida das crianças, depois de tantos dias grudados no papai, na mamãe ou na vovó é normal que a criançada, reclame, ao saber que terão que deixar a mordomia, a piscina e o picolé geladinho, para levantar cedo e ir para a escola.

Independente de se ter ou não saudades dos amigos, dos velhos brinquedos e dos cantos e recantos da escola é natural que as crianças, no 1º dia de volta às aulas, estranhem e relutem para entrar e ficar. Afinal, na escola, elas terão que lutar pelo seu espaço, justificar os seus desejos, aprender a ouvir e esperar a sua vez para falar…

Como os pais fazem para lidar com todas as questões e desconfortos das crianças neste começo de semestre?

Se por um lado, na escola, tudo parece estar igual por outro, não está.

Tem a mudança da sala, a mudança da professora, a mudança da rotina, a falta daquele amigo que se foi e não se despediu, sem contar o balanço no qual não se consegue mais entrar porque crescemos e engordamos, isso sem falar no escorregador…

Mas, uma boa escola não pode deixar a mesmice tomar conta do cenário. Tem que ter boas e grandes novidades para atrair as crianças e fazer delas grandes aliadas…

Tem que ter brinquedos novos, livros novos e surpresas novas espalhadas pelos quatro cantos da escola.

Na medida em que se associam à escola, apoiando as suas propostas, fica bem mais fácil, para os pais, deixar seus filhos no 1º dia de aula, de volta à rotina escolar, ou fazer a adaptação dos pequenos que estão começando.

São os professores que vão resgatar, na criança, a vontade de voltar para escola e nela ficar por 4,6,8 ou até 10 horas diárias.

São os professores que, ao falar das histórias novas, dos brinquedos e jogos novos e dos novos desafios, vão suscitar na criança a vontade de conhecer, descobrir e superar todas as dificuldades.

As crianças têm que sentir- se acolhidas, como se fossem únicas, na volta às aulas. Têm que sentir que a escola também sentiu falta delas e que todos querem saber das novidades que elas têm para contar e das histórias que elas viveram nesses dias.

Carinho, singularidade, acolhimento e olho no olho, estes são os ingredientes que farão com que uma criança queira ir, queira ficar e queira aproveitar a escola, os amigos e os desafios sempre permeados pela presença segura e constante de um bom professor.